A Empodera é uma marca de camisetas estampadas totalmente à mão que nasceu do desejo de espalhar o feminismo pelas ruas de uma maneira instantânea, estilosa, divertida e, principalmente, questionadora.
Após identificar-se como feminista, a estilista e idealizadora Juliana Ferrão passou a se ver em diversos confrontos (especialmente com homens) tentando explicar e debater sobre o tema. Cansada disso, decidiu criar a marca e apenas vestir o que gostaria de dizer, uma vez que já confeccionava camisetas para si e para as amigas através da técnica de stencil, usada até hoje na confecção dos modelos atuais.
As estampas e ideias começaram a surgir conforme a marca foi crescendo e a troca com as clientes foi aumentando, passando por frases, trechos de músicas e também alguns desenhos que conversem com os temas: feminismo, empoderamento, sagrado feminino, orgulho LGBTQI+ e muita brasilidade, que é um dos pilares da marca - resgatando trechos de músicas e afastando cada vez mais a “norte-americanização” da Moda brasileira.
Todo o processo de confecção, desde a escolha de fornecedores até a embalagem de entrega é pensada e está em constante atualização para que haja o mínimo de descarte possível de materiais e matéria prima. Além disso, a Empodera reforça constantemente o ideal da marca, que não é apenas vender, mas sim:

• criar uma rede de pessoas que identifiquem-se umas com as outras, troquem conhecimento e apoio, e espalhem as reflexões para fora da “nossa bolha”;
• criar uma rede com outras marcas gerenciadas por mulheres, fortalecendo o empreendedorismo feminino e as mulheres que o praticam;
• usar a Moda como ferramenta de comunicação direta e como Moda-protesto (viés idealizado pela estilista inspiração Zuzu Angel), gerando debates e trocas sobre o assunto de extrema importância para a evolução como sociedade e perante a luta feminista;
• dar voz à lutas de outras mulheres e minorias;
• valorizar e dar visibilidade ao trabalho artesanal, mostrando que o feito-à-mão também é sinônimo de qualidade e boa execução;
• trabalhar com transparência;
• agregar todos os tamanhos, além de usar “MEDIDAS REAIS” para sua grade-base (P-GG) enfatizando o protesto contra a “ditadura da magreza” ainda vigente na Moda brasileira e mundial.

CONSUMO CONSCIENTE em primeiro lugar e TODO PODER ÀS MINAS! ♥